Biografia-do-Victor-Hugo

Biografia do Victor Hugo: principais fatos sobre o autor

Victor Hugo foi um autor muito renomado, responsável por criar grandes obras literárias que marcaram gerações, como Os Miseráveis, O Corcunda de Notre-Dame, dentre outros. Mas, além disso, também foi poeta, dramaturgo e estadista.

Esse escritor francês ficou conhecido por suas obras cheias de histórias impactantes. Até hoje, muitos anos após sua vida ter chegado ao fim, ainda é um dos principais autores franceses que já existiram.

Victor Hugo fez história através de suas histórias, e vamos conhecer mais sobre sua vida e como foi a criação de suas obras mais famosas. Continue sua leitura e aproveite todas as informações sobre este homem incrível e tão sábio.

Biografia do Victor Hugo

Victor-Marie Hugo, mais conhecido como Victor Hugo, nasceu no dia 26 de fevereiro de 1802, na cidade de Besançon, na França. Seus pais eram o Conde Joseph Léopold-Sigisbert Hugo e Sophie Trébuchet.

Leia também:

O pai, Joseph, era ninguém menos do que o general de Napoleão na época em que Hugo nasceu. Em sua infância, não chegou a passar muito tempo na França por conta das viagens que precisa fazer com a família, por conta do trabalho do general.

Entre os 12 e 14 anos, nos respectivos anos de 1814 a 1816, estudou na escola Liceu Louis le Grand. Seus cadernos escolares eram cheios de versos, seus primeiros registros escritos.

Como um bom representante do Romantismo que seria no futuro, Victor Hugo começou a ler as obras do responsável por iniciar o Romantismo na França: René Chateaubriand. Ele tinha apenas 14 anos na época e amava realizar suas leituras.

“Quero ser Chateaubriand ou nada”

Hugo costumava dizer essa frase, mostrando que sua determinação e admiração pelo romancista ajudou a moldar o que ele veio a se tornar. Desde novo, seu objetivo era ingressar neste meio da literatura, por isso fez de tudo para seguir esse caminho.

Seu primeiro prêmio veio aos 15 anos de idade, resultado de seu trabalho em um concurso de poesia da Academia Francesa. 2 anos depois, conquistou o Lírio de Ouro, que é o prêmio máximo da Academia de Jogos Florais de Toulouse.

O prêmio foi conquistado por realizar o restabelecimento de uma estátua do rei Henrique IV que acabou sendo derrubada durante a Revolução.

Victor Hugo tinha 2 irmãos, que eram a Eugéne Hugo e o Abel Hugo, que o ajudaram a montar uma revista que ficou conhecida como “O Conservador Literário”. Eles publicaram muitas matérias nos primeiros meses da revista.

Eles falavam sobre política, faziam críticas literárias, de teatro e artísticas.

Com 20 anos de idade, Victor Hugo casou-se com sua amiga de infância, Adèle Foucher, e também foi quando ele escreveu e publicou sua primeira antologia poética. Foi chamado de “Odes e Poesias Diversas”.

“Han de Islândia” foi seu primeiro romance publicado, sendo feito no ano de 1823, e foi aí que ele começou a ter mais familiaridade com ideias românticas.

Sua primeira peça teatral, “Cromwell”, foi escrita 4 anos depois. Essa foi um grande sucesso entre o público e a crítica.

Victor Hugo sempre foi uma pessoa super politizada e responsável, sempre demonstrando isso e inserindo em suas obras. A próxima obra que ele viria a publicar, “O Último Dia de um Condenado”, foi um desabafo político visando apelar para o fim da pena de morte na França.

Também houve peças que foram censuradas, como “Marion Delorme”, por ter entre os seus personagens o Luís XIII.

Prestes a fazer 30 anos de idade, em 1831, Victor Hugo escreveu um de seus romances mais celebrados e magníficos, que foi “Notre-Dame de Paris”. Só muito tempo depois que ele passou a ser chamado de O Corcunda de Notre-Dame, responsável por criar e contar a história de Quasímodo e Esmeralda.

Em seguida, escreveu outras histórias e, por volta de 1833, acabou se separando de sua atual esposa (Adèle), que gerou 5 filhos, e começou a viver com Juliette Drouet, atriz que seria sua companheira até o fim de sua vida.

Pouco tempo depois, ele se tornou o poeta e prosador mais famoso que fazia parte do Romantismo na França.

“A liberdade literária é filha da liberdade política. Eis-nos libertos da velha forma social; e como não nos libertaríamos da velha forma poética? A um povo novo, uma nova arte”. – Victor Hugo

Antes de completar seus 40 anos de idade, Victor Hugo já era um homem rico e renomado entre o povo francês, e passou a fazer parte da Academia Francesa e também frequentava a corte das Tulherias.

Passou a fazer parte do Senado francês no ano de 1845, criando na mesma época o jornal que ficou conhecido como “O Acontecimento”. O intuito era lutar pela miséria do povo francês, e acabou ajudando a eleger Napoleão III que não cumpriu com as promessas feitas para o governo.

Com a insatisfação, passou a ser perseguido por lutar contra a ditadura que Napoleão III instalou na França e precisou se refugiar na cidade de Bruxelas. Foram 18 anos de exílio para ele. Seu retorno para a França só aconteceu após a queda do Império de Napoleão III.

Mesmo em exílio, Victor Hugo não deixou de escrever suas obras e produziu várias delas nesse período – incluindo a obra Os Miseráveis.

Os Miseráveis

Considerada por um grande público como sua principal obra, a mais incrível e renomada, Os Miseráveis foi publicada no ano de 1862.

A história retrata o que a Revolução Francesa tinha causado na França e para os franceses, além de nos ensinar sobre vários assuntos atemporais e de grande significado para a sociedade.

Até hoje, todos que leem sua obra ficam encantados com a escrita, seu conhecimento e delicadeza.

O fim da vida de Victor Hugo

Victor-Marie Hugo morreu no dia 22 de maio de 1885, na cidade de Paris, França. Sua morte veio 2 anos depois de sua amada, Juliette Drouet, ter falecido.

Em seu testamento, Victor Hugo demonstrou que mesmo após sua morte ele se importava com os menos afortunados. Ele disse:

“Dou cinquenta mil francos aos pobres. Desejo ser levado ao cemitério em um carro fúnebre e refuto de oração de qualquer igreja, rogo as preces de todas as almas. Creio em Deus”.

Deixe um comentário