Biografia-do-Santos-Dumont

Biografia do Santos Dumont: vida e obras do inventor

Você sabe quem foi Santos Dumont? Já deve ter ouvido esse nome em suas aulas de história do Brasil, assim como em outras áreas, afinal, ele foi o que chamamos até hoje de “Pai da Aviação”.

Ele foi um grande inventor, assim como aeronauta, e sua nacionalidade é brasileiro. Ele foi responsável por construir um balão dirigível que foi capaz de decolar e contornar o entorno da Torre Eiffel, em Paris. Ainda conseguiu aterrissar com a ajuda de um motor à base de gasolina.

O famoso avião número 6 foi o responsável por ajudar Santos Dumont a mostrar como funcionava a dirigibilidade dos balões e a conquistar o Prêmio Deutsch no ano de 1901. Esse prêmio foi concedido pelo Aeroclube francês.

Santos Dumont foi o primeiro a realizar esse ato, por isso causou grande comoção na época.

Além do nome de Santos Dumont, você deve ter ouvido falar sobre o famoso 14 Bis. Todos os jovens estudantes já tiveram conhecimento sobre ele, afinal, ele era um item mais pesado que o ar e mesmo assim mostrou sua capacidade de decolar sem a necessidade que o vento estivesse ajudando.

Leia também:

Ele possuía um motor de 50 cavalos de potência e conseguiu realizar um pouso bem feito na frente de membros do Aeroclube francês.

Esse foi o grande momento da vida de Santos Dumont, o que fez seu nome ficar marcado na história. Mas, agora iremos conhecer mais sobre a sua vida e o momento de sua morte. Confira, a seguir.

Biografia do Santos Dumont

Alberto Santos Dumont nasceu no dia 20 de julho de 1873, em uma fazenda chamada Cabangu, em João Gomes que, hoje, tem o nome de Santos Dumont em sua homenagem. A cidade fica no estado de Minas Gerais.

Seus pais eram Henrique Dumont e Francisca Santos Dumont. Seu pai, que era francês, era engenheiro e também um importante plantador de café em fazendas que ficavam em São Paulo.

Sua mãe vinha de uma família importante, sendo filha do comendador, e industrial, Francisco de Paula Santos.

A família por parte de pai de Santos Dumont veio da França no século XIX, indo residir em Diamantina – cidade do estado de Minas Gerais.

Santos Dumont era o caçula entre os irmãos homens, ficando atrás de seus 5 irmãos mais velhos. Isso o fazia se sentir diferente deles, como se não pertencesse a aquela família. Ele também teve 2 irmãs.

Ele aprendeu a ler em casa mesmo, com a ajuda de uma de suas irmãs – a Virgínia.

Santos Dumont sempre amou a ideia da aviação e o que poderia ser feito nesta área, e sabemos que esse interesse era intenso quando vemos o que ele foi capaz de fazer em sua vida adulta.

Um dos meios que ele imaginava essa possibilidade era através dos livros de Jules Verne, grande escritor de histórias que envolviam o Centro da Terra e outras questões, assim como também se inspirava através de livros de engenharia.

Sua primeira vez no país de seu avô paterno e de seu pai, a França, foi em 1891. Nesta época de sua viagem, o motor a gasolina fazia grande sucesso nas exposições pela cidade de Paris e isso deixou o jovem Santos Dumont fascinado.

No ano seguinte de sua viagem e de seu fascínio pela França e suas descobertas, o pai de Santos Dumont adoeceu e resolveu adiantar a herança para seus filhos. Com isso, o ainda jovem Santos Dumont pode se mudar para a França.

Lá, ele começou a moldar suas oportunidades de construir suas aeronaves.

O motor de combustão e a mecânica foram os maiores assuntos estudados por ele neste período que passou na França.

O primeiro balão criado por ele foi feito no ano de 1998, em Paris. Este balão ainda dependia do vento para conseguir decolar e se manter no ar, o que ainda não era uma grande invenção que ele buscava.

Com os balões dirigíveis que ele conseguiu o que buscava, sendo no balão número 6 que o feito de decolar e manter um balão dirigível no ar sem a necessidade do vento foi alcançado.

Depois disso, continuou produzindo seus balões dirigíveis e até mesmo aceitando encomendas. Foi no balão número 9 que ele começou a transportar seus primeiros passageiros, um feito e tanto para a história da aviação.

O título que pertence a Santos Dumont

Santos Dumont conquistou o título referente ao primeiro homem a conseguir voar em um avião de verdade, mas existem alguns aviadores que ainda disputam esse título. Entre eles, temos os irmãos Wright, que dizem ter realizado o mesmo voo, mas só que sem testemunhas.

Ou seja, o título continua sendo de Santos Dumont, o brasileiro que fez história na aviação.

A morte de Santos Dumont

No dia 23 de julho de 1932, Santos Dumont nos deixou. Ele cometeu suicídio e veio a falecer no Guarujá, São Paulo.

Ele vinha sofrendo de esclerose múltipla, além da depressão que o assombrou no fim de sua vida. O motivo se dá por conta do uso que o seu grande projeto acabou tendo, sendo usado para a guerra.

Santos Dumont se sentiu responsável, sentiu que sua criação estava sendo usada de maneira equivocada e isso lhe causou danos irreparáveis na saúde mental.

Uma grande curiosidade sobre sua morte é que, com o intuito de preservar a imagem que ele tinha na época (por conta de uma época ainda muito conservadora), o governo anunciou sua morte como fruto de um infarto.

Conclusão

Santos Dumont nos ensina sobre a determinação por lutar e continuar buscando pelo que deseja alcançar, até mesmo se for algo que ainda não foi inventado.

Um dos maiores feitos de sua vida aconteceu no dia 12 de novembro de 1906, às 16h45m, quando Santos Dumont decolou do Parque das Bagatelle, na cidade de Paris, pilotando o 14 Bis. Ele tinha 6 metros de altura e conseguiu voar 220 metros.

Hoje, é possível visitar o Museu em sua homenagem, que fica situado onde era sua casa de verão – Rua do Encanto, n.º 22, Petrópolis, Rio de Janeiro.

Deixe um comentário